É assim que se faz.


A minha amiga, a linda, loira e altamente esperta Jennifer Alexander ou Jennalex, como nós a chamamos, um dia resolveu que queria fazer um mosaico. Não somente um mosaico. Um grande mosaico totalmente feito de materiais que de outra forma acabariam no lixão. Mais que isso, ela queria colocar esse grande mosaico num parque da cidade para todos desfrutarem.

Então lá foi ela, linda, loira, esperta e completamente inocente a respeito de como funciona a burocracia de uma cidade, mesmo uma cidade supimpa como San Francisco. É claro que ela bateu com o nariz na porta da comissão de Parques e Recreação da cidade. Não tem experiência nisso, e a segurança, e as crianças, e o aquecimento global, e o custo, e o Oriente Médio, tem que preencher trezentos mil formulários em triplicata, etc., etc., etc.

Mas a Jennifer não desistiu. Achou um parque, contatou a associação de moradores e lá foi ela com a Liga das Senhoras Que Gostam de Grandes Mosaicos de Material Reciclado em Parques. Tanto encheram o saco dos burocratas que não só conseguiram permissão para fazer como também faturaram um tutuzinho para ajudar no transporte do Mosaico.

Isso no país mais rico do mundo. A Jennifer está fazendo isso tudo por quase nada. O único custo é o aluguel de um caminhão para levar o mosaico. E ela fez tudo praticamente sozinha. Como essa mulher está dando sopa na praça assim toda solteira desse jeito é um dos grandes mistérios da humanidade.

Em vez de ficar fritando hamburguer e agitando bandeirinha no 4 de Julho, eu fui dar uma força para ela no seu estúdio na Box Shop em Bayview, que é mais ou menos tipo assim a Itaquaquecetuba de San Francisco.

A coisa funciona assim:

Primeiro você desenha tudo e corta os desenhos numa placa de madeira reciclada.


Depois você faz o molde com a madeira reciclada e chapa de aço (tá bom, a chapa de aço ela teve que comprar, mas foi bem baratinha, negócio de brimo)


Daí vem a betoneira direto de alguma obra com o resto de concreto que tem de ser jogado fora no final do dia e enche os moldes. Você tira os moldes e voilà, aí está a base do mosaico.

Depois é colar os materiais reciclados com cimento de azulejo em cima da base de concreto. Coisas como faróis de carro quebrados, vidro estilhaçado, etc.

E para terminar, um revestimento que cobre a superfície e as pontas dos cacos para as criancinhas não se cortarem todas com o mosaico, porque senão aí é pobrema.

Depois disso, fui dar uma voltinha pelas dependências chiques da Box Shop, o lar das Flaming Lotus Girls.

Nem tudo está perdido.

Mad Max se morderia de inveja.

Isso aqui é uma estrela do mar feita de aço e cimento que vai ser uma pira para fogueiras em Ocean Beach. Não sei quem está fazendo isso, mas que é bacaninha, ah isso é.

Advertisements

4 comments so far

  1. ronas on

    Coisa mesmo mais legal. A mina, digo.
    O que me surpreende, além do fato da mina estar solteira, é como no país mais rico do mundo não existe dinheiro pra subornar autoridades.
    Aqui em SP existe esse tipo de iniciativa, reciclagem/mosaico/parques e muros, geralmente financiada por ongs que por sua vez são financiadas por empresas que sabem o “caminho da$ pedra$”.
    Enfim, tudo isso deixa apenas uma questão no ar: quando a Jenny vem passar férias em SP?

  2. Dr. Fiasco on

    Ninguém tasca que eu vi primeiro.

  3. Priscilla martins on

    Oie..amei seu site!!

  4. Dr. Fiasco on

    Valeu Priscilla!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: