Explicando melhor


A Marri fez um comentário sobre uma certa desilusão minha com as mulheres e eu acho que preciso explicar isso melhor, e vir finalmente a público sobre esta história toda.  Tirar o bode da sala de uma vez por todas.  Se você não sabe do que se trata, não precisa saber.

Marri, acho que você não entendeu. não há desilusão nenhuma. Eu vou usar a minha metáfora do pólo aquático para explicar. Eu jogo pólo aquático desde os 16 anos. Hoje em dia continuo jogando, uma vez por semana, contra um time de pivetes de 19 anos de idade, a metade da minha idade. Eles são mais rápidos que eu, mas eu os outros caras que jogam no meu time somos mais fortes e mais experientes e o jogo fica equilibrado. O pólo aquático pode ser um jogo sujo. Não tem que ser sujo, mas pode ser. Debaixo d’água, onde o juiz não vê, vale tudo: socos, chutes, beliscões, agarradas na zona do agrião e por aí vai. Uma vez inclusive rasgaram a minha sunga e eu fiquei pelado na piscina e o juiz não deu falta porque ele não viu. Ou seja, se você quiser jogar sujo, fique à vontade..

E aí surge o dilema, que não é só do pólo aquático, mas da vida. Sabendo que tem gente que vai jogar sujo com você, o que você faz? Retribui na mesma moeda? Ou fica esperto, aprende a antecipar as puxadas de tapete e mantém a capacidade de confiar nas pessoas até prova em contrário, mas ao mesmo tempo aprende a se defender?

Eu fiz a escolha pela segunda opção, não porque acho que seja inerentemente melhor que a alternativa. Não acredito em Karma, recompensas para quem for bom nessa vida ou punições para quem não o for. Para mim, morreu, acabou, ou seja, não há nenhum incentivo para ser honesto ou moral. Como dizia o Raulzito, citando Aleister Crowley, faça o que quiser que é tudo da lei.

Mas a segunda opção se encaixa mais na minha personalidade. Eu acho a desonestidade acima de tudo uma coisa extremamente cafona. Então eu prefiro continuar aberto e transparente, mesmo me expondo a riscos desta maneira. É o meu jeito. Eu me defendo, e quando eu vejo um pivete chegando para cima de mim debaixo d’água cheio de más intenções, eu sei me desemabaraçar dele sem usar jogo sujo, porque eu tenho a experiência que ele não tem.

Este ano eu levei a maior puxada de tapete da minha vida, da última pessoa no universo de quem eu esperava algo assim. Foi o equivalente existencial a levar um carrinho do Serginho Chulapa, daqueles de quebrar a canela. Esse carrinho teve e tem consequências pessoais, financeiras, profissionais e sobre a possibilidade de eu poder continuar morando nos Estados Unidos. Não é pouca coisa. Mas cá estou, de pé e feliz, até. Sim, feliz e livre para seguir a minha vida do meu jeito. Estou consertando essa bagunça toda aos poucos, com paciência, fazendo o que posso e não me preocupando com as coisas sobre as quais eu não tenho controle. Portas se fecharam e outras se abriram e por uma dessas portas que se abriram entrou a Jenn e isso tem sido muito bom. A Jenn está recuperando aos poucos a minha confiança, especialmente nas mulheres.

Então, não há desilusão nehuma. O que há é a constatação de que eu posso continuar jogando com a defesa aberta e confiando nas pessoas; mesmo que às vezes eu me engane, eu sou perfeitamente capaz de segurar o tranco. Segurei a onda desse ano de 2007 e vou segurar de novo quando (sim, quando) as próximas decepções acontecerem. A vida é boa e muito curta para guardar rancores. Sei o que foi feito e já perdoei tudo. Mas não esqueci. Isso, nunca. Porque esquecer significa abrir mão das lições dessa experiência. E há muitas lições para serem aprendidas dessa história.

Mas desilusão, nenhuma. Já estou pensando na próxima aventura.

Deu para entender agora?

Advertisements

1 comment so far

  1. Livia on

    Queridinho,
    esse post merece comentários com taças de vinho.
    E longas madrugadas…
    Não comentei seu e-mail sobre o assunto e nem vou comentar esse post.
    É só pra vc ir escolhendo o vinho, tá?!
    bjs

    PS: Se for por agora, vai ter q ser suco de uva, viu…


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: